terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O Engenheiro de Almas - Josef Skvorecky


Sinopse

Não é à toa que Josef Skvorecky tem entre seus admiradores nomes como Graham Greene, George Steiner e Milan Kundera. Proscrito pelo regime de exceção imposto a seu país, Skvorecky tornou-se um dos mais populares escritores tchecos após o lançamento de seu primeiro romance, Os covardes, em 1958. Em 1968, após a invasão da URSS à antiga Tchecoslováquia, emigrou para o Canadá, onde vive até hoje, e seu prestígio permaneceu intacto. O ENGENHEIRO DE ALMAS introduz o leitor ao estilo Svorecky: irreverente, desafiador, cheio de reviravoltas. Mas para Skvorecky o livro é apenas "um divertimento sobre os velhos temas da vida, mulheres, destino, sonhos, classe operária, agentes secretos, amor e morte". Modéstia do escritor. O ENGENHEIRO DE ALMAS é um retrato extraordinário de um homem nutrido e torturado pelas memórias de um mundo que deixou para trás. No centro desse espirituoso romance está Danny Smiricky, personagem de outros livros do autor, inclusive O saxofone baixo, e alter-ego de Skvorecky. Um emigrante tcheco no Canadá, refugiado depois da ocupação de Praga, em 1968, e que leciona Literatura no Erindale College, na Universidade de Toronto. Exatamente como Svorecky. O livro alterna passagens entre o Canadá moderno e a Tchecoslováquia pós-Segunda Guerra, numa narrativa com toques de alta literatura mixados à cultura popular e passagens de elegante crítica literária. Tudo isso ao fazer do leitor um espectador das aulas de Smiricky, onde se discutem desde Poe, Hawthorne, Twain e Crane, até Fitzgerald, Conrad e Lovecraft. O autor não recorre a pensadores como Karl Popper e Hanna Arendt, ícones da investigação sobre os inimigos da sociedade aberta e as origens do totalitarismo, mas a paralelos entre a realidade observada por Smiricky e exemplos literários de intolerância, como A letra escarlate, de Hawthorne, e de irracionalismo, como O coração das trevas, de Conrad. Para Smiricky, a vida no Canadá nos anos 70 é quase idílica, dividida entre o relacionamento com a mais bela de suas alunas e as saudades do país natal. Mesmo totalmente adaptado à nova pátria, as memórias de pessoas e lugares, da cultura diferente, dos primeiros amores, estão presentes, revigoradas por cartas de amigos e pela convivência com outros exilados tchecos. Usando a grande tela da história ou cenas intimistas de amor e erotismo, O ENGENHEIRO DE ALMAS é um romance de idéias sublinhado por uma postura clara contra o totalitarismo. Josef Skvorecky nasceu em 1924, na Tchecoslováquia, mas emigrou para o Canadá em 1968 após a invasão de seu país pela URSS.

Créditos: Wal-Mart



0 Opiniões sobre o Livro:

Postar um comentário

O Que Você Achou deste Livro?

Se Já Leu ajude outros leitores que estão em dúvida deixando sua opinião.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...